A agressão verbal e a punição corporal causam danos muitas vezes irreversíveis para o desenvolvimento infanto / juvenil e testam a incompetência no educar. Esses atos devem ser abolidos do contexto social. Como??? Qual a receita?? Não há receita! Somente as aquisições de novos hábitos educacionais podem possibilitar a mudança. A infância saudável pode ser garantida quando os pais ou responsáveis conseguem incorporar um conjunto de atitudes preventivas, entre elas: a comunicação positiva (diálogo), a participação e o envolvimento na rotina dos pimpolhos, o estabelecimento de regras claras e consistentes (de acordo com a faixa etária), a aquisição do controle emocional, o reconhecimento dos comportamentos adequados, a demonstração de afetos e a utilização de consequências lógicas quando as regras são infringidas.

Vale ressaltar, que o DIÁLOGO é uma ferramenta eficaz para que as regras sejam repassadas e efetivadas antes mesmo que os comportamentos indesejáveis se instalem. O ELOGIO e o RECONHECIMENTO SOCIAL também devem fazer parte do cotidiano dos pequenos. A FRUSTRAÇÃO é importante para a efetivação dos limites. Ninguém permanece confortável mediante aos choros, os gritos e ao sofrimento de uma criança por não ter o que deseja. Diante disso, é imprescindível que os adultos consigam desenvolver o controle emocional. A colocação apropriada do SIM e o NÃO são primordiais para o estabelecimento da boa EDUCAÇÃO. Queridos pais e responsáveis é importante destacar ainda, que ao possibilitar que a criança ou o adolescente desenvolvam o clima atrativo em torno das regras e seu cumprimento e a responsabilidade sobre os comportamentos teremos a garantia do sucesso e a melhor qualidade na educação dos nossos fofos.